Leo Fraiman, psicoterapeuta escolar, explica por que a parceria entre família e escola é fundamental

É comum lidar com emoções o tempo todo. Ao longo da vida, descobrimos novas emoções e aprendemos, a partir de situações diversas, a gerenciá-las. Em meio à pandemia, a necessidade e a importância de saber lidar com elas são fundamentais para sobreviver e superar as adversidades que o mundo nos traz.

Para explicar quais habilidades estão sendo cobradas neste momento, Leo Fraiman, psicoterapeuta especialista em Psicologia Escolar e Mestre em Psicologia Educacional e do Desenvolvimento Humano pela USP, foi um dos convidados da live Educação em tempos de pandemia, no Colégio Ranieri, que aconteceu no sábado, 22/08.

Embora os alunos tenham se adaptado bem às aulas online, Fraiman ressaltou a importância de também cuidar da saúde mental e espiritual dos alunos e dos professores, que são os personagens principais dessa história.

Segundo o psicoterapeuta, se nós olharmos com perspectiva ampla sobre o cenário da pandemia, ainda que existam o estresse e as dores, saímos do automático. “Vínhamos de uma rotina agitada, conectados ao celular o tempo todo. Ninguém tinha tempo livre para nada. Com o isolamento social, passamos a olhar nossos filhos mais de perto, conhecê-los melhor e estimulá-los a ter mais autonomia dentro do mesmo espaço e tempo.”

Sobre o ensino à distância, os pais passaram a conhecer mais de perto a rotina escolar dos filhos e a perceber se eles estão ou não aprendendo. Com o suporte da família, com envolvimento de todos nas tarefas do dia a dia, notamos a importância de mudarmos também nossos hábitos e trabalharmos com a ideia de coletividade, a começar dentro de casa.

“A gente precisa entender o que mudou. Estamos usando a tecnologia para aprender e não somente para entreter, como era antes. Também passamos a nos questionar sobre a necessidade de consumir excessivamente. O que percebemos mesmo foram alguns sentimentos que ficaram latentes: empatia, solidariedade, afetividade, companheirismo e adaptabilidade”, explica Leo.

“Aquele que tem um porquê para viver pode suportar quase qualquer como”. A frase é do filósofo e pensador alemão Friedrich Nietzsche, também citada no livro Em busca de sentido, escrito por Viktor Frankl, que conta sua história em um campo de concentração como psicólogo durante a Segunda Guerra Mundial.

“Essa obra mudou muito a minha vida, porque até então eu não sabia que uma pessoa poderia morrer de desgosto. E, sim, é possível”, diz Leo.

Durante a experiência em meio à guerra, Viktor Frankl observou que existiam pessoas fortes e resilientes à situação extrema e passou a entrevistá-las com objetivo de identificar características em comum e ajudar essas pessoas a terem seus projetos de vida.

“E é exatamente esse o meu propósito: ajudar as pessoas a encontrarem seus projetos de vida a partir da logoterapia, que ensina a gente a identificar o sentido da vida”.

Diante dessa pandemia, muitos já vêm falando que o ano acabou. Diante dessa ideia, Leo Fraiman orienta que todos nós possamos nos questionar e pensar o que queremos da vida e o que a vida vem exigindo de nós nesse momento. Daí a importância de compreender nossas emoções e saber lidar com elas.

O que é uma emoção? Quando você sente raiva, tristeza, tédio ou qualquer outra emoção, é importante compreender que cada uma delas é um sinal de que você não está bem. Agora, o que o Leo Fraiman comenta é que devemos aprender a fazer as pazes com nossas emoções e compreender que qualquer emoção é importante e que não devemos defini-las como negativa ou positiva.

Se o seu filho está birrento, gritando, quieto demais ou com qualquer outro comportamento diferente do que você conhece, é hora de ter uma conversa com ele. É hora de compreender o que ele está sentindo.

“A família educa e ensina e a escola ensina e educa. Essa ordem é importante e deve ser considerada assim em quase todas as vezes. Na vida corrida, muitas famílias acabavam acreditando que, ao pagar a escola, a Instituição tinha que educar também. Mas essa aprendizagem tem que vir da família”, defende Leo Fraiman.

Agora, se você está assistindo às aulas ao lado do seu filho, fazendo as lições por ele, ajudando-o o tempo todo a entrar nas aulas online, por exemplo, Leo acredita que você não esteja contribuindo com a autonomia dele.

Assim como é importante exercitar os músculos para que eles cresçam, é importante exercitar o cérebro para que ele funcione bem.

Seu(sua) filho(a) caprichou na aula e a professora deu uma nota ruim? A professora deu um feedback que seu(sua) filho(a) não atingiu o resultado esperado? “Encare essa situação como positiva e não negue as observações e críticas. Pelo contrário. Aproveite essa informação para que seu filho aprenda a ouvir e a responder de maneira positiva. Na nossa sociedade, na educação brasileira, existe um grave problema. A crença de que é dever dos pais fazer os filhos felizes. Acredite, não é nosso dever fazer os filhos felizes porque a felicidade é feita de dentro para fora e não o contrário”, explica.

Leo ressalta, ainda, que a felicidade é resultado da devoção a algo. “Se me dedico e me esmero, tenho sucesso”. Para ajudar nesse desafio, crie uma agenda de atividades, com horários definidos, tenha ao menos uma refeição juntamente com a sua família, sem a intervenção de notificações do celular.  Aproveite esse momento para conversar, para ouvir, para se aproximar dos filhos.

“Precisamos entender se vamos nos condenar a algo ou não. Somos exatamente o que fazemos a cada momento. Se meu filho está em uma escola onde tem aula online e está me oferecendo a oportunidade para ele se desenvolver, confie na escola. O conteúdo, nesse momento, é o menos importante. O mais importante é a saúde emocional e é estimular a curiosidade e o gosto por aprender.”

O psicoterapeuta acredita que todos nós deveríamos ter o crachá de treinamento. Segundo ele, estamos em treinamento o tempo todo, nos adaptando a esse novo momento. Há professores youtubers e outros que ainda estão aprendendo a lidar com os recursos digitais. Cada pessoa no seu tempo.

Se você como pai ou mãe se questiona sobre estar ou não certo na hora de criar, está na hora de perguntar a você mesmo: se é bom para o seu filho, se faz bem para ele e se está dentro da lei. Tendo três “sim”, está tudo certo.

 

Bate-bola com Leo Fraiman

 

Ranieri – Vejo meu filho sem ânimo durante as aulas online, o que fazer?

Leo Fraiman – Observar seu filho é o primeiro passo para identificar o motivo para esse desânimo. Os hábitos alimentares também são importantes para garantir a nutrição, a energia e o bom humor. Leve seu filho ao nutricionista e faça uma revisão sobre os hábitos alimentares dele. Verifique se o sono está adequado e, além de tudo isso, estimule a atividade física. Às vezes a criança está cansada e está lidando com a demanda da escola de maneira errada. Nesse momento, é importante que os pais falem com a escola e compreendam como estão as atividades, entenda o ritmo de estudo. Fale com os professores e veja a melhor forma de lidar com a situação.

Ranieri – Como acalmar o medo dos pais para retomar esse convívio, na hora da retomada?

Leo Fraiman – O que podemos fazer é trazer vozes e experiências. Assim como o Ranieri vem fazendo, promovendo o evento Educação em tempos de pandemia, é importante nos cercar de conhecimento e informação. Levaram meses para as pessoas se conscientizarem sobre o covid-19 e certamente levará tempo para todos nós voltarmos às nossas vidas normais.

Ranieri – Como lidar com esse medo?

Leo Fraiman – Não dá para blindar nossa vida. Sim, tem que ter cuidados e limitações em relação ao combate do covid-19. Mas temos que nos conscientizar de que não é saudável e nem possível viver dentro de uma bolha. Vamos entender que vamos ter de retomar um caminhar diferente da vida e não ter paranoia. Cuidados são bons e necessários. Respeito ao outro é bom também. Mas quando estamos no estado da paranoia, são outros medos. Vou blindar a vida de um filho a qualquer custo? Conseguimos e devemos nos preservar, mas é importante também confiarmos na escola em que nós escolhemos colocar nossos filhos. A comunicação e a transparência entre escola e família farão total diferença na relação e na hora de colher resultados.

Para assistir toda a palestra de Leo Fraiman, acesse o Conect Rani e confira a Live Educação em tempos de pandemia.